Maria Eleita de Jesus, O.C.D.

Maria Eletta di Gesù  O.C.D. -al secolo Caterina Tramazzoli
Biografia Sumária da Serva de Deus Maria Eleita de Jesus, O.C.D.
(1605-1663)

A Serva de Deus Maria Eleita de Jesus, O.C.D. nasceu em Terni, Úmbria, Itália, em 28 de janeiro de 1605. Foi batizada na Catedral e recebeu o nome de Caterina Tramazzoli. Ela cresceu em um ambiente equilibrado e muito rico de fé. Os dons da graça e da sua natureza a fazem compreender muito cedo que a paz e a alegria verdadeiras estão no Senhor, assim em 3 de junho de 1626, com 21 anos, seguindo o chamado de Cristo, entrou no mosteiro das Carmelitas descalças da sua cidade natal.
Jovem carmelita, Caterina, agora irmã Maria Eleita, empenhou-se seriamente na sua vocação e tornou-se um exemplo e um estímulo também para as suas irmãs de congregação. Depois de três anos de vida religiosa recebeu a inesperada missão de colaborar na fundação de um Carmelo em Viena, onde demonstrou, tendo recém completado 24 anos, uma maturidade surpreendente. Ela passou em Viena 14 anos. Em 11 de dezembro de 1643 o Imperador pediu-lhe para fundar um Carmelo em Graz, onde viveu os anos espiritualmente mais fecundos da sua vida, conquistando a estima da população, da aristocracia e do próprio imperador Ferdinando III, pela sua sabedoria e santidade.
Destinada a uma nova fundação na Boemia, ela deixou Graz em 1° de setembro de 1656. A chegada de Madre Maria Eleita a Praga foi triunfal: o povo a conhecia de fama e a amava já como uma santa. Justamente em Praga a Serva de Deus, além dos graves problemas relativos à fundação do Carmelo, viverá a “noite escura” da provação com paciência heroica e grande abandono nas mãos de Deus, através de doenças, tormentos espirituais, contradições e até calúnias.
O amor, dizia Santa Teresa de Jesus, se conquista com o agir e com o sofrer. É a maneira de amar dos Santos, foi aquela de Madre Maria Eleita que viveu a obediência no seu aspecto mais radical, à imitação de Jesus, obediente até a morte na cruz.
Com a atividade nutrida de oração e como o exemplo, Madre Maria Eleita conduziu o mosteiro das carmelitas descalças a uma vida religiosa de grande perfeição, enquanto a sua fama de santidade crescia em toda a cidade boêmia.
Em Praga, em 11 de janeiro de 1663, concluiu a sua peregrinação terrena aos 58 anos de idade. O Imperador, que nutria uma grande estima pela Serva de Deus, informou pessoalmente o Papa Alessandro VII, que exclamou: “Esta sua luz, um dia, será colocada sobre o candelabro na Igreja de Deus”.

Biografias:
Di Gesù, C. T., Biografia di Maria Eletta di Gesù, Terni, 1975.
Mirri, L. M., Maria Eletta di Gesù. Una Carmelitana per le strade d’Europa 1605-1663, Città Nuova, Roma, 2010.

Autor da Causa: Mosteiro de São José e Santa Teresa, da Ordem das Carmelitas Descalças, Terni, Úmbria, Itália.

(Italiano)
Sito registrato nella

(Italiano)


(Italiano)