Guido Vidal França Schäffer

Servo di Dio Guido Vidal França Schäffer

GUIDO VIDAL FRANÇA SCHÄFFER
Biografia

Guido Vidal França Schäffer nasceu em Volta Redonda/RJ, Brasil, em 22 de maio de 1974. Foi o segundo dos três filhos de Guido Manoel Vidal Schäffer e Maria Nazareth França Schäffer.

Foi batizado, em 22 de dezembro de 1974, na igreja de Santa Cecília, em Volta Redonda.

Guido morou em Copacabana (até a entrada para o Seminário), onde aprendeu a amar o mar, o surf, as caminhadas nas matas, a natureza e os esportes em geral.

No ano de 1978, entrou para o Colégio Sacré Coeur de Marie, onde cursou desde o maternal até o final do ensino médio, concluído em 1991.

Fez sua Primeira Comunhão, na Paróquia Nossa Senhora de Copacabana, no dia 11 de dezembro de 1983. Na mesma igreja recebeu o sacramento da Confirmação em 2 de dezembro de 1990.

Cursou a Faculdade de Medicina, na Fundação T.S. Souza Marques (1992/1998).

Em outubro de 1998, viajou a Roma em companhia dos pais, na comitiva do Cardeal Dom Eugênio e Dom Romer, e participou de audiência com o Papa João Paulo II.

Fundou o grupo de oração (R.C.C.) “Fogo do Espírito” na igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, sob a direção do Pe. Jorjão. Sua namorada e futura noiva pertencia ao mesmo grupo.

De março de 1999 a fevereiro de 2001, realizou a Residência Médica no Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (4ª e 20ª Enfermarias – Clínica Geral).
Este período foi muito importante em sua vida, pois lhe proporcionou a experiência de exercer a medicina voltada para os pobres e Guido iria encontrar ali sua vocação.
Junto com os jovens do Grupo Fogo do Espírito Santo, costumava frequentar os retiros (“acampamentos de oração”), da Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista/SP. Foi ali que assistiu a uma palestra que muito o influenciou num novo direcionamento de sua vida espiritual.

Em 1999, iniciou o atendimento médico à população de rua, na casa das Missionárias da Caridade, situada à Travessa do Mosqueira, Lapa. Levou alguns amigos médicos da Santa Casa, que também passaram a atender na casa das M.C.

Influenciado pelo trabalho que realizava com as M.C., leu o livro “O irmão de Assis”, de Inácio Larrañaga, que lhe despertou o desejo de ter maior liberdade para pregar a Palavra de Deus.

Guido viajou a Roma e diversos Santuários na França e Portugal, por ocasião do Ano Santo (ano 2000). Em Lisboa, após voltar de Fátima, revelou aos pais o desejo de ser Padre. Passou a dirigir-se espiritualmente com Dom Romer e deixou o Grupo Fogo do Espírito Santo, que ficou sob a coordenação de sua ex-noiva.

Em 2002, passou a fazer parte da Pastoral da Saúde da Santa Casa da Misericórdia, onde desenvolveu um belo trabalho, dando formação semanal aos seus integrantes (às sextas-feiras, na Capela do Colégio São Paulo). Aos domingos (dia de visitação aos doentes) rezavam as Laudes, depois visitavam as enfermarias, rezando pelos mais necessitados e convidando a todos para a missa realizada na capela, por Frei Anselmo Fracasso.

Em 2002, começou a estudar Filosofia no Mosteiro de São Bento. No mesmo ano participou da JMJ em Toronto – Canadá.

Em 2003 durante oração sente-se chamado a um novo carisma na Igreja, aliando sacerdócio e medicina, por esta razão. Em 28 de janeiro de 2004 – durante oração “assume na alma” o voto de pobreza.

Em 2005, concluiu os estudos filosóficos. Em 27 de janeiro do mesmo ano – entrou em contato com Pe. Jonas Abib e, a conselho deste, para um mais profundo discernimento, passou a residir em Queluz, trabalhando como médico voluntário da Prefeitura e no Ambulatório Padre Pio, em Cachoeira Paulista. Trabalhou, ainda evangelizando pela Rádio.

Participou da JMJ em Colônia – Alemanha (2005).

Em 2006, retornou aos estudos clericais, já decidido a entrar para o Seminário. Cursou o 1º e 2º anos de Teologia no Mosteiro de São Bento, para poder dar prosseguimento aos seu inúmeros trabalhos médicos e de evangelização. Desde que se decidiu pelo sacerdócio, Guido não quis mais exercer a medicina remunerada e deixou o trabalho que realizava em clínica particular (Clínica Lengruber), mas continuou exercendo a medicina de forma gratuita na Santa Casa da Misericórdia e no atendimento aos pobres assistidos pelas M.C.

Em 2008, entrou para o Seminário Arquidiocesano de São José, para cursar o resto da Teologia em regime interno.

Morreu no 1º de maio de 2009, enquanto surfava no Recreio dos Bandeirantes com amigos. No dia 2 de maio, na Paróquia Nossa Senhora de Copacabana, a Missa de corpo presente foi presidida pelo Arcebispo do Rio, concelebrada por 2 outros bispos e cerca de 70 sacerdotes, na presença de aproximadamente 1200 fiéis. Em seguida foi sepultado no Cemitério de São João Batista.

(Italiano)
Sito registrato nella

(Italiano)