Angelo Angioni

padre-angelo-angioni

Biografia Sumária do Servo de Deus Angelo Angioni
(1915-2008
)

O Padre Angelo Angioni nasceu na Itália, na cidade de Bortigali, na ilha da Sardenha, no dia 14 de janeiro de 1915. Era o quinto filho do casal Antonio Angioni e Grázia Manconi.
Iniciou seus estudos na Escola Estadual da cidade de Ozieri (Sardenha) cursando os cinco anos da Escola Primária, como se costumava naquele tempo. Aos 11 anos ingressou no Seminário Diocesano de Ozieri onde cursou mais cinco anos do curso ginasial.
Em 1930, aos 15 anos de idade, deixa o Seminário Diocesano para ingressar no Pontifício Instituto das Missões Estrangeiras de Milão (PIME). Em Génova, Monza e Milão completa seus estudos filosóficos. Em 1936, devido a problemas de saúde, os médicos sugerem deixar o clima frio da Alta Itália para o clima mais ameno da terra natal. Aí no Seminário Regional de Cúglieri (Sardenha), dirigido pelos Padres Jesuítas, freqüenta o curso teológico.
Ordenado sacerdote em Cuglieri no dia 31 de julho de 1938, foi logo nomeado Vigário coadjutor na Paróquia de Santa Luzia na cidade de Ozieri.
Em 1939 foi enviado pelo Bispo à cidadezinha de Ittireddu como Vigário da Paróquia da Imaculada “Inter Montes”.
Em 1943 foi nomeado Vigário da Paróquia de São Miguel Arcanjo, em Bono onde trabalhou por cinco anos, coadjuvado por mais cinco sacerdotes, entre os quais o Padre Miguel Virdis.
No final de 1948 o Bispo Diocesano pediu ao Padre Angelo que deixasse sua bela Paróquia de Bono para assumir o delicado encargo de Reitor do Seminário Diocesano na cidade episcopal de Ozieri, onde permaneceu até novembro de 1951.
Neste ínterim o bispo de Ozieri, Dom Francisco Cogoni pediu ao Padre Angelo que fundasse em sua Diocese a Congregação Sacerdotal dos Oblatos de São Carlos. O Pe. Angelo aceitou a condição que, com estes Oblatos, a Diocese de Ozieri assumissem um território de Missão entre não-cristãos, nem que isso exigisse uns vinte anos de preparação.
Mas o Bispo não esperou nem seis meses. Após a redação dum “Plano Missionário”, foi para Roma apresenta-lo ao Vaticano.

A Santa Sé achou melhor que a Diocese de Ozieri fosse ajudar a Diocese de Rio Preto-SP (Brasil), cujo Bispo Dom Lafayette, acabava de solicitar ajuda, visto a grande escassez de sacerdotes em sua Diocese.
Enviado ao Brasil pelo Bispo de Ozieri, o Padre Angelo desembarcou em Santos dia 11 de novembro de 1951. Rumou logo para S. José do Rio Preto. Dom Lafayette deixou-o uns três ou quatro dias no Seminário Diocesano, mas logo em seguida nomeou-o Vigário coadjutor do Cônego Mauricio Caputo, Pároco de José Bonifácio.
Decorridos três meses, chega ao Brasil, enviado também pelo Bispo de Ozieri, o Padre João Carta. Então o Bispo Dom Lafayette nomeou o Cônego Mauricio Caputo Vigário de Ibirá e o Padre Angelo Vigário de José Bonifácio, tendo como coadjutor o Padre João Carta. Por seis anos trabalharam juntos nessa nossa Paróquia.
Em 1957 o Padre João Carta volta para a Itália, substituído pelos Padres Assuncionistas holandeses do Seminário de Rio Preto, os quais se prontificaram a prestar assistência aos Domingos.
Em 1962 o Padre Angelo segue para Roma como secretário de Dom Lafayette na primeira sessão do Concilio Vaticano II, sendo substituído, na Paróquia pelo argentino Padre Agostinho Lopes.
Nomeado Vigário do Santuário de Fátima em São José do Rio Preto, o Pe. Cesarino vem sendo substituído em José Bonifácio sucessivamente, pelos Padres Genésio Gasques, Felix Daniel Torralvo e, atualmente, pelo Padre Mauro Ziati Pereira. O quanto eles contribuíram, e continuam contribuindo pelo bem da Comunidade bonifaciana, é de conhecimento de todos.
Quanto as Festas e Campanhas que ajudaram a construir Igrejas, Escolas e Conventos, é necessário reconhecer que todos, unânime e generosamente todos contribuíram, tanto os ricos como os pobres. Em José Bonifácio não tem sentido a piada das obras feitas “com o consentimento dos ricos e o dinheiro dos pobres”; porque se o pobre deu o frango, o rico deu o bezerro, e com isso todo ano, por ocasião das Festas, e não apenas a favor da Matriz e das Capelas, mas e das Obras Sociais, quais a Santa Casa, o asilo dos Velhos, o APAE e o ABAM, e das Escolas. Igual generosidade se dá nas comunidades não-católicas a favor de suas Igrejas e Instituições.
Por isso Deus não deixa de abençoar a Cidade a qual, até agora, não conta com nenhuma favela.
Entre as Instituições ligadas a Igreja Católica destaca-se o Instituto Missionário Coração Imaculado de Maria, o qual fundou a Escola Paroquial para a formação das “elites”, nelas incluindo os que se destinam à vida Sacerdotal e Religiosa, e as Escolas Artesanais, especialmente a de Marcenaria e de Artes Gráficas, que se destinam à profissionalização dos que precisam se inserir no mundo do trabalho.
No dia 22 de Junho do ano 2000 foi acometido por um derrame cerebral, foi realizada uma cirurgia e retirado um coágulo do cérebro. Não perdeu nenhum minuto sequer a consciência, mas a conseqüência deixou-o sem os movimentos do lado esquerdo. Deste momento fica de cama com começo de paralisia, com grande aceitação da vontade do Senhor celebra a Santa Missa todos os dias, atende a confissões e orienta muitas pessoas.
Faleceu em odor de santidade no dia 15 de setembro de 2008 na cidade de José Bonifácio, Estado de São Paulo, na Diocese de São José do Rio Preto.
No dia 7 de junho de 2015 na igreja paroquial São João Batista de José Bonifacio, foi celebrado o inicio do Processo Diocesano sobre a vida, as virtudes e a fama de santidade do Servo de Deus e também o reconhecimento canonico e traslado dos restos mortais do Servo de Deus nela supradita igreja.

Sito registrato nella